Projetos Articulados

PROJETOS ARTICULADOS : ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

 

Os PROJETOS ARTICULADOS valorizam a produção discente e docente, fortalecem a integração ensino, pesquisa e extensão, incentivam a dinamização de trabalhos conjuntos, primam pela consolidação das oportunidades favoráveis à troca de experiências e à formação de parcerias, enquanto garantem a construção, a divulgação e o confronto de ideias, a interdisciplinaridade e o crescimento da relação professor – aluno – cursos – IES.

A formação de parcerias marca os trabalhos desenvolvidos e  incentiva  sempre a produção discente e docente fortalecendo a articulação ensino, pesquisa e extensão, fazendo refletir suas ações não só na sua comunidade acadêmica, mas também no seu entorno. Exemplificando estas parcerias apresentamos a seguir o resumo de alguns projetos articulados, cujos resultados se mostraram como importante aprendizado e/ou troca de experiências, trazendo benefícios ou gerando impactos positivos.

 

DIAGNÓSTICO SÓCIO-ECONÔMICO E AMBIENTAL DA ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL – APA DA SERRINHA DO ALAMBARÍ E CAPELINHA – RESENDE / RJ(2008)

Em parceria com a Agencia Municipal do Meio Ambiente (AMAR), Curso de Economia , Coordenação de Pesquisa da AEDB e jovens da comunidade. Visando estabelecer um conjunto de informações com o máximo de profundidade possível sobre a sociedade e sobre o bioma existente na APA Serrinha do Alambari e Capelinha,  o diagnóstico procurou estabelecer o perfil de diferentes segmentos, como moradores fixos, veranistas e comerciantes, através de uma abordagem qualitativa, feita por expedições de observação, e outra quantitativa, através de recenseamento de informações individuais.

 

 

 

(Foto)

FOTO Herbert Macario. Diagnóstico Serrinha do Alambarí e Capelinha. AEDB,2008.

 

 

 

O PARQUE NACIONAL DO ITATIAIA VAI À ESCOLA: um olhar sobre a transversalidade curricular- PNIVE

 

Oportuniza trabalho participativo que integra conhecimento teórico/prático na relação Educação Ambiental – Escolas Públicas – Parque Nacional do Itatiaia (PNI) e Associação Educacional Dom Bosco (AEDB), despertando a curiosidade investigativa e a compreensão simbiótica da vida ecológica e da vida humana, num trabalho integrado de pesquisa, ensino e extensão.

foto2

Estão em parceria: O Parque Nacional do Itatiaia, Secretarias Municipais de Educação dos Municípios de Resende e Itatiaia e AEDB, através de seus Cursos de Graduação e CPGE.

O PNIVE nasceu de preocupações e discussões na Câmara Técnica de Educação do Conselho Consultivo do PNI, a respeito da necessidade de transformar visitas formais de escolas públicas e particulares em visitas orientadas para um novo olhar que envolva não a contemplação estática de uma unidade de conservação da natureza, mas a educação ambiental, que ultrapasse o conservacionismo e vá além, proporcionando mudança de mentalidade em relação à qualidade de vida, diretamente ligada ao tipo de convivência que se mantém com a natureza e que implica atitudes, valores e ações. O caminho encontrado para essa abordagem foi invertido – o parque é que vai à escola. Aceitando o desafio  a AEDB prepara alunos graduandos voluntários, independente de sua área de formação, através de curso de Iniciação à Docência em Educação Ambiental, tendo como foco o Parque Nacional do Itatiaia, para em seguida através de convênio, levar o conhecimento às Escolas Públicas e acompanhá-las em visitas orientadas ao Parque Nacional do Itatiaia.

foto3A

foto3B

Alunos voluntários da AEDB em aula prática (IMERSÃO) no Planalto do Itatiaia-PNI. (Turma 2013).

 

foto4A

foto4B

Alunos da Escola Municipal Otorino Zanon, Município de Itatiaia, em visita orientada no Planalto do Itatiaia e no  Centro de Visitantes (parte baixa). Projeto PNIVE, 2013.

O Projeto está em sua terceira edição, na fase preparatória, oferecendo Curso Semipresencial de extensão em Iniciação à Docência em Educação Ambiental, tendo como foco o Parque Nacional do Itatiaia, com 120 horas teórico – práticas para 32 alunos dos cursos de Biologia, Engenharia e Pedagogia. Estes serão os multiplicadores nas escolas públicas, fazendo com que o PNI vá à Escola e a Escola vá ao Parque de maneira orientada,acompanhando todo o processo.

 

 

PROGRAMA DE BOLSA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA – PBIC

Produções acadêmicas e experiências de iniciação à pesquisa, embora tímidas (2007, 2008), mostraram a necessidade de se instituir uma política de pesquisa que viesse dar respaldo a programas de iniciação à pesquisa e iniciação científica, juntamente a grupos de pesquisa que respondam às exigências da busca permanente do conhecimento e consequente melhoria da qualidade da formação profissional que se oferece em uma instituição em desenvolvimento, onde se procura responder aos avanços tecnológico e industrial do seu entorno mais próximo e da sua região.

O  PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA na  AEDB, pressupõe  bolsa de iniciação à pesquisa como um incentivo individual que se operacionaliza como estratégia exemplar de financiamento seletivo aos alunos vinculados a projetos de pesquisa desenvolvidos pelos professores. Demanda comprometimento de professor e aluno diante de um Projeto de Pesquisa, proposto e aprovado pela instituição, em atendimento a EDITAL específico, nas formas do REGULAMENTO do PROGRAMA.

 

Pesquisas iniciadas em agosto de 2013, e finalizadas em agosto de 2014 :

 

  • OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE NOVOS   PRODUTOS AUTOMOTIVOS PELA ANÁLISE MATEMÁTICA DOS    PARÂMETROS DA ENGENHARIA SIMULTÂNEA BASEADA EM CONJUNTOS DE POSSÍVEIS SOLUÇÕES

 

Projeto da Faculdade de Engenharia de Resende (FER), Curso de Engenharia de Produção Automotiva, sendo Pesquisador o Prof. Dr. Henrique Martins Rocha e Aluno Bolsista: Erico Rocha da Silva Vannuchi. O trabalho apresentou seus estudos preliminares e submetido com êxito à FAPERJ foi contemplado com financiamento de equipamentos de informática para laboratório.

 

  • MEMÓRIAS DE MULHERES: JORNAL O SORRISO NA RESENDE NO INÍCIO DO SÉCULO XX

 

Projeto da Faculdade de Filosofia Ciências e Letras Dom Bosco, Curso de Letras, sendo Pesquisadora  a Profª Msc., Doutrª.  Erica Duarte e Alunas Bolsistas: Paula Fernanda dos Santos e Isadora Rangel de Freitas. O trabalho já apresentou seus estudos preliminares e está servindo de tema de doutorado em curso pela pesquisadora.

 

  • FLORÍSTICA E FITOSSOCIOLOGIA EM REMANESCENTE DE FLORESTA OMBRÓFILA ALTOMONTANA, COM BASE NO ZONEAMENTO DA RPPN AVE LAVRINHA, BOCAINA DE MINAS, MG.

 

Projeto da Faculdade de Filosofia Ciências e Letras Dom Bosco, Curso de Ciências Biológicas, sendo Pesquisadora a  Profª. Drª.  Marina W. Torres e Aluno Bolsista Danilo C. Almeida. O trabalho já apresentou seus estudos preliminares e constitui trabalho de final de curso de Bacharelato em Ciências Biológicas.

 

  • MODUS DE VER E DE SER VISTO: A FOTOGRAFIA NA CONSTRUÇÃO DE CORPUS E DE PROCESSO DE SUBJETIVAÇÃO NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA

 

Projeto da Faculdade de Ciências Econômicas, Administrativas e da Computação, Dom Bosco, Curso de Comunicação Social, sendo Pesquisador o  Prof. Dr. Luiz Antônio Feliciano e Aluna bolsista Beatriz Furtado Morelato. O trabalho já apresentou seus estudos preliminares e está servindo de tema de trabalho de conclusão de curso da graduanda.

 

Todos os estudos acima mencionados foram apresentados, em forma de artigos, na XII Semana de Atividades Científicas – XII SEAC, da AEDB (2014).

 

 

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA – PIBID

 

Parceria entre a AEDB, Secretaria da Educação do Município de Resende e Escola Noel de Carvalho, onde dez estudantes do segundo e do terceiro anos do Curso de Letras da Faculdade de Filosofia Ciências e Letras Dom Bosco, realizam atividades de apoio ao ensino da língua portuguesa, com uma proposta direcionada para leitura e produção de textos, para alunos de sexto e sétimo ano através do PIBID, que  pela primeira vez  se desenvolve em Resende.

O PIBID é uma iniciativa do Ministério da Educação por intermédio da Secretaria de Educação Superior (SESu), da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), que visa ao aperfeiçoamento e à valorização da formação de professores para a educação básica.

Desse modo, o programa concede bolsas a alunos de licenciatura participantes de projetos de iniciação à docência que sejam desenvolvidos por Instituições de Educação Superior (IES) em parceria com escolas de educação básica da rede pública de ensino.

foto5

 

Equipe PIBID/AEDB   e alunos da Escola Noel de Carvalho do Município de Resende

 

 

 

 

 

O programa PIBID representa mais um esforço da AEDB em prol da melhoria do ensino e do estreitamento da relação AEDB/ Comunidade.

 

Faça o download do regulamento –  AQUI

 

 

SEMANA DE ATIVIDADES CIENTÍFICAS DA AEDB – SEAC

 

A SEAC é um evento de extensão promovido na AEDB de forma integrada e indissociável do Ensino de Graduação, Pós-Graduação e da Pesquisa. Tem por finalidade divulgar através de práticas interdisciplinares a produção científica e cultural de professores e alunos, congregando diferentes áreas do conhecimento e da cultura, privilegiando o ensino, a pesquisa e a extensão.

Evento que acontece anualmente e encontra-se em sua XII edição. Constitui o marco de integração entre alunos, professores, diretores, funcionários, cursos, faculdades e órgãos de apoio. Cada vez mais vem se pontuando a importância e o reconhecimento que a AEDB consagra ao acesso dos discentes e docentes à pesquisa nas suas especificidades e da criação de espaço para as suas manifestações.

 

DSCF0994dd

 

foto5

 

foto 1

Apresentação de Pôsteres. XII SEAC, 2014

 

 

foto3

foto2

Apresentação de Artigos e TCC. XII SEAC, 2014

 

 

foto6

Atividades Culturais SEAC, 2014

 

 

 

 

 

PROJETO SALA VERDE TYMBURIBÁ            

 

A SALA VERDE TYMBURIBÁ é um centro de articulação, integração, parceria e referência que congrega instituições, pessoas, projetos, programas e ações educacionais, socioambientais e culturais norteados por seu Projeto Político Pedagógico, tendo por base o compromisso da AEDB com a certificação recebida do Ministério do Meio Ambiente- MMA/ Salas Verdes, o qual chancela suas atividades e eventos.

Dentre seus objetivos, se propõe a identificar temas relevantes da área de atuação dos cursos da AEDB e dos Parceiros Tymburibá que possam constituir ações, eventos ou atividades específicas, promovendo articulação e integração interna e externa.

Os PARCEIROS TYBURIBÁ constituem representações de segmentos da comunidade e de órgãos públicos e privados da Região Sul Fluminense, convidados pela AEDB para participar dos trabalhos da SALA VERDE TYMBURIBÁ, colaborando com  o meio ambiente, com  a educação ambiental e com  os assuntos socioambientais e  culturais, local e regional.

Dentre estes, em número de quatorze, podemos citar: Academia Militar de Agulhas Negras; Parque Nacional do Itatiaia; Parque Estadual da Pedra Selada; Agencia Municipal do Meio Ambiente de Resende; Clube de Lojistas de Resende; Prefeituras Municipais de Resende e Itatiaia; Indústrias Nucleares do Brasil; Academias de História Resendense e Itatiaiense e outras instituições de igual importância para nossa região.

Dessa maneira constitui espaço simbólico, aberto à encontros permanente agendados ou esporádicos  reunindo diferentes segmentos da comunidade e da AEDB.

 

foto6B

Reunião Ordinária do Conselho Municipal

de Educação de Resende

CEDUR, 2014

 

 

 

 

 

(foto)

Encontro Presencial do Curso de Iniciação à

Docência em Educação Ambiental, 2014

 

A Sala Verde Tymburibá extrapola este espaço, agrega valores e objetiva promover ações de aproximação de diversos segmentos e atores sociais locais e regionais na construção de projetos educacionais culturais e sócio ambientais, baseadas no trabalho em rede, em estratégias interinstitucionais, intersetoriais ou de construção coletiva, contribuindo para a melhoria da qualidade ambiental e de vida da região.

 

 

PROJETO  AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE, POLÍTICA PÚBLICA E PARCERIA: um caminho promissor de ensinamentos e aprendizagens para o desenvolvimento da Educação Municipal.

O Projeto  leva em conta a  avaliação do desempenho docente tendo como foco a avaliação do discente da educação básica em atendimento a uma premissa política de mérito do profissional da educação como incentivo à melhoria da educação municipal.

A  avaliação meritória passa a ser texto legal e a ingerência política na educação municipal se torna um caminho para a avaliação externa na perspectiva de parceria interinstitucional que possa trazer benefícios para o desenvolvimento educacional do município.